sábado, 6 de fevereiro de 2010

"O Aquecimento Global em nosso cotidiano"



Segundo um conto de Leon Tolstoi considerado um dos maiores escritores de todos os tempos no que diz “Sobre um sujeito que faz pacto com o diabo, receberá toda a terra que conseguir percorrer a pé, durante um dia, do nascer ao pôr do sol. O Homem atravessa as horas sem descanso. Quando o sol já se aproximava do horizonte, não se dá por satisfeito. Corre. Falta-lhe fôlego, mas ele não para. Quer ainda possuir aquele vale, aquele bosque. Quando cai morto de fadiga, o conto explica de quanta terra precisa um homem: Se ele não tem consciência de limites, apenas um par de metros lhe bastam. Uma cova não requer mais do que isso.

Através desta reflexão tiramos a conclusão de que o homem com sua ganância mortífera acaba com sua própria vida na busca de fortunas. Para não fugir do contexto que se liga ao tema do artigo levemos em consideração que as conseqüências do aquecimento global que sofremos em nosso dia-a-dia, é fruto das ações do "homem" que na busca de seu incessante poder destrói os recursos naturais, desmata, desvia cursos de rios, emitem grandes quantidades de gases na atmosfera enfim falta de consciência coletiva.

Acompanhamos nos noticiários da mídia em geral a Conferência das Mudanças Climáticas da ONU (COP-15) no final do ano de 2009. O mundo esperava uma nova era depois dessa Conferência, mas o naufrago nas negociações de Copenhague mostra que os interesses econômicos ainda falam mais alto que a questão ambiental entre os líderes mundiais.

Enquanto o dinheiro falar mais alto que a vida, o planeta continuará sendo destruído e continuaremos sofrendo as conseqüências que não são nada tranqüilas. Temos um exemplo atual, nunca se registrou tanta chuva no mundo como agora, em São Paulo, por exemplo, chove todas as tardes e sofremos com alagamentos, transtornos no trânsito e até mortes.

E nós? Estamos fazendo a nossa parte? Deixo no ar essa incógnita???? O que podemos fazer para tentar reverter ou pelo menos melhorar este quadro cruel??? O que podemos fazer para poder ver nossos netos vivendo em um planeta com amplas condições de sobrevivência?

Falarei sobre isso na próxima postagem... Abraços a todos.

Luciano Fonseca

Fonte Bibliográfica Revista ISTOÉ Edição 23 dez/2009



2 comentários:

Luciana disse...

Gostei muito do seu artigo Luciano, o aquecimento global é hoje a maior preocupação e a maior ameaça ao bem estar da população mundial e ao equilibrio da natureza. Aguardo a sua proxima postagem.
beijo grande

Renata disse...

Infelizmente, é possivel sentir na pele a tamanha destruição que se deu ao planeta.Como estar indiferente á situação?Como jogar um papel fora do lixo?Gastar água indevidamente e etc
Afinal, como o proprio nome nos diz o aquecimento é GLOBAL,nos não estamos fora dessa!

Vlw pelo artigo Luciano,

Abraços

Renata